Franz Anton Mesmer

Franz Mesmer nasceu a 23 de Maio de 1734, na aldeia de Itznang, Suíça. Aos 15 anos, entrou no Colégio Jesuíta de Dillingen, na Baviera, e de lá foi em 1752 para a Universidade de Ingolstadt, onde estudou filosofia, teologia, música e matemática. Por fim, decidiu-se por uma carreira médica. Em 1759 ele entrou na Universidade de Viena, recebendo um diploma de medicina em 1766.

Mesmer então se estabeleceu em Viena e começou a desenvolver seu conceito de um fluido invisível no corpo que afetava a saúde. No início ele usou ímãs para manipular esse fluido, mas gradualmente passou a acreditar que estes eram desnecessários, que, de fato, tudo em que ele tocava se tornava magnetizado e que um fluido que dava saúde emanava de seu próprio corpo. Mesmer acreditava que uma relação com os seus pacientes era essencial para a cura e conseguia-a com diversos adereços. Suas salas de tratamento eram fortemente cobertas, música era tocada, e Mesmer aparecia em longas vestes violetas.

Os métodos de Mesmer eram desaprovados pelo estabelecimento médico em Viena, então em 1778 ele se mudou para Paris, esperando por uma melhor recepção para suas idéias. Na França ele alcançou uma popularidade esmagadora, exceto entre os médicos. Com base na opinião médica, esforços repetidos foram feitos pelo governo francês para desacreditar Mesmer. Em uma época de turbulência política e de revolução, tais esforços foram vistos como tentativas de impedir o gozo da maioria da saúde, e a popularidade do mesmerism continuou inabalável. No entanto, sob pressão contínua, Mesmer retirou-se para a Suíça no início da Revolução Francesa, onde passou os anos restantes da sua vida.

Críticos focaram a atenção nos métodos de Mesmer e insistiram que as curas só existiam na mente do paciente. Os estudos do século XIX sobre o trabalho de Mesmer por James Braid e outros na Inglaterra demonstraram que o aspecto importante do tratamento de Mesmer era a reação do paciente. Braid introduziu o termo “hipnotismo” e insistiu que os fenômenos hipnóticos eram essencialmente fisiológicos e não estavam associados a um fluido. Ainda mais tarde, estudos realizados em França por A. A. Liebeault e Hippolyte Bernheim atribuíram os fenómenos hipnóticos a forças psicológicas, particularmente a sugestão. Enquanto passava por essa transformação científica no século 19, o mesmerismo, em outros círculos, tornou-se mais estreitamente associado ao ocultismo, ao espiritualismo e à cura pela fé, fornecendo em última instância a base para a Ciência Cristã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.